Sessão de Relato de Caso


Código: RC150

Área Técnica: Retina

INSTITUIÇÃO ONDE FOI REALIZADO O TRABALHO

  • Principal: AÇÃO VISUAL OFTALMOLOGIA

AUTORES

  • ALFREDO JOSE CASSEMIRO FILHO (Interesse Comercial:NÃO)
  • GUSTAVO PASCOAL AZEVEDO (Interesse Comercial:NÃO)
  • RAPHAEL CALIXTO PENATTI (Interesse Comercial:NÃO)

Título

HEMORRAGIA PRE-RETINIANA SECUNDARIA A APLASIA DE MEDULA: RELATO DE CASO

Objetivo

Relatar caso de paciente com aplasia de medula que evoluiu com hemorragia pré-retiniana(HPR) bilateral e macular e optou-se por conduta expectante com melhora da acuidade visual

Relato do Caso

Paciente 33 anos, feminino, sem comorbidades, com redução progressiva e indolor da AV bilateral(20/200)AO, associado a astenia intensa e palidez cutâneo-mucosa há dois dias.A avaliaçâo mostrou múltiplas HPR presentes em todos os quadrantes com acometimento da mácula bilateralmente, sem outras alterações oculares.Solicitado parecer hematológico e nova avaliação em 2 semanas. Paciente foi submetida a 7 transfusões sanguíneas(hemácias e plaquetas) e realizado mielograma com biópsia de medula confirmando diagnóstico de aplasia de medula(AM).Iniciado tratamento com prednisona e profilaxia para infecções oportunistas.Após duas semanas evoluiu com melhora da AV (20/100)AO. Mantida a conduta e a AV tem melhorado progressivamente(20/50)AO.Paciente aguardando transplante de medula.Na HPR secundária a AM o indivíduo, geralmente, apresenta baixa da AV devido à HPR que frequentemente ocorre na periferia da retina. Nesses casos, dificilmente acomete a região macular.Há uma ruptura espontânea dos capilares perifoveais secundária a anemia grave e trombocitopenia.A conduta é, geralmente, conservadora nessa retinopatia, com recuperação visual progressiva à medida que a hemorragia é reabsorvida. No entanto, esse processo pode ser muito lento e pode haver dano irreversível pela retinotoxicidade do sangue durante exposição prolongada.O uso do Nd-YAG laser para romper a membrana limitante interna da retina e drenar o sangue pré-retiniano em direção ao vítreo e a vitrectomia posterior são procedimentos que podem ser indicados, todavia paciente com trombocitopenia corre o risco de piorar o quadro hemorrágico com prejuízo da acuidade visual

Conclusão

Caso aborda HPR secundária a AM, causando baixa significativa da AV devido ao acometimento macular bilateralmente, optou por conduta expectante com melhora progressiva da AV, a opção foi segura e eficaz para o tratamento dessa retinopatia


Realização

Realização - CBO

Transportadora Oficial

Shuttle

Agência Web

Sistema de Gerenciamento desenvolvido por Inteligência Web

Cota Diamante

Alcon

Cota Platina

Allergan
Genom

Cota Ouro

Bausch + Lomb
Latinofarma

60º Congresso Brasileiro de Oftalmologia

3 a 6 de setembro | Goiânia | Goiás